[Resenha] Um perfeito cavalheiro

um2bperfeito2bcavalheiro
Classificação: ★★★★★ ♥
Título:
 Um perfeito cavalheiro

Título original: An Offer from a Gentleman
Coleção: Série “Os Brigdertons” livro 3
Páginas: 272
Ano Edição: 2016
Editor(a): Editora Arqueiro
Autor(a): Julia Quinn
Tradutor(a): Cássia Zanon
Edição: 
ISBN: 978-85-8041-497-4
Gênero: Romance / Ficção / Literatura Estrangeira (com conteúdo adulto)

por: Giovanna Cuzziol Longo

Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. 

Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. 

Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. 

O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível.

Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 

umperfeitocavalheiro1(1)(1)

Ele achava que já havia desejado mulheres antes. Mas aquilo… aquilo ia além de tudo. Era espiritual. Estava na sua alma.

Confesso que comecei a leitura com expectativas altas. A autora tinha fisgado meu coração nos dois primeiros livros da série e eu esperava o mesmo para o terceiro. E ela, mais uma vez, conseguiu. Não tenho como expressar o que aconteceu nesse livro se não pela seguinte frase: Julia Quinn acertou em cheio. Seu estilo de escrita não mudou do primeiro para cá – terceira pessoa, alternando pontos de vista (o que eu gosto muito, por oferecer uma gama maior de fatos), foco nos personagens e a sua famosa capacidade de emocionar com palavras – e a leitura continua leve e engraçada.

O pontapé inicial de “Um perfeito cavalheiro” se deu por meio de uma inspiração da versão Disney do conto Cinderela. Assim que isso fica claro, é normal que o leitor perca a firmeza que tinha na história, mas todos os receios vão embora com o passar das páginas, até porque, as semelhanças entre Sophie e Cinderela acabam quando a realidade da primeira nos é apresentada: sofre com o trabalho exaustivo, a desigualdade, a fome e o preconceito social, o que, por curiosidade, dá vazão ao significado por trás da história de amor, à reflexão pela qual os leitores mais atentos passam e à leve crítica que a autora insere entre os suspiros de amor.

O Sr. Bridgerton, por sua vez, parece não ter qualquer interesse pelas jovens frequentadoras dos eventos sociais. Ele comparece a quase todas as festas, mas tudo o que faz é olhar para as portas, provavelmente esperando alguém especial.
Quem sabe…
Uma noiva em potencial?

Benedict foi o segundo filho a nascer, e essa palavra – segundo – parece assombrar sua vida. O melhor partido da temporada em questão tem a necessidade de revelar sua individualidade e, apesar de amar a família mais do que tudo, já se cansou de ser visto como “mais um Bridgerton”. Ofuscado pelas personalidades e qualidades dos irmãos, mostra-se sensível e angustiado. O protagonista é apaixonante e reúne tudo que alguém apaixonado possa querer. A sedução, o mistério e a autoridade são disfarçados pela preocupação carinhosa que exala, bem como a faceta heroica sob a qual seu bondoso coração se esconde.

Sophie, a gata borralheira de 1800, não poderia ser diferente. Viu-se presa a uma madrasta e duas meias-irmãs (uma horrenda igual à mãe e a outra indiferente e incapaz de se impor) antes que pudesse impedir ou sequer entender a situação. Foi fácil se encantar e se compadecer por ela. Filha bastarda de um conde, mas tratada como pupila, passou a vida inteira bem ciente “do seu lugar”. É tímida, mas irrefutável, sua forte personalidade. Revela-se simplória, mas teimosa, e encaixa-se com doçura na história.

– Esta noite eu estou transformada – sussurrou ela. – Amanhã, eu desaparecerei.
Benedict a puxou para perto e deu um beijo breve e suave na sobrancelha dela.

Com ajuda da governanta – sua fada madrinha – consegue ir a um dos bailes mascarados da família Bridgerton e é lá que tudo se inicia; a faísca de amor e a necessidade de ficarem juntos. Como algo primitivo, quiçá espiritual, a conexão que se desenvolve entre os dois é quase palpável, e é como se tudo estivesse finalmente certo. Foi esse encontro que me fez jogar tudo para o alto e declará-los como formadores do meu casal favorito. A química e a sintonia são inegáveis.

Porém, fazendo jus ao conto no qual foi inspirada, Sophie se despede às pressas à meia noite e deixa apenas uma luva para trás. No dia seguinte, quando Benedict procura sua dama misteriosa, ela é expulsa de casa pela madrasta que soube somar um mais um. O próximo encontro dos dois ocorre três anos depois do que eu classifiquei como um dos momentos mais mágicos que já li. O laço que criaram naquela noite torna-se tão forte que, mesmo depois de tanto tempo, um ainda sonha com o outro. A diferença é que Sophie sabe o rosto que ronda seus sonhos, enquanto Benedict, não.

O enredo que se segue é de tirar o fôlego e é impossível desviar os olhos até que a obra se acabe. Julia Quinn transformou o clichê (o amor à primeira vista e o conto de princesa) em um enredo emocionante, surpreendente, inovador e cheio de reviravoltas. É preciso, porém, levar em consideração um ponto importante durante a leitura, para se entender completamente o comportamento de Benedict e desfrutar totalmente do romance. Há de se lembrar a época em que o livro se passa, e quão difícil é, até hoje, para certas pessoas conseguirem admitir seus sentimentos. O protagonista toma decisões baseando-se no que achava melhor para a sua reputação e a da família, tentando encontrar um meio termo onde todos sairiam ganhando, mesmo que, aos nossos olhos isso pareça um tanto machista e primitivo. O seu sentimento, porém, prevalece e, no fim, bastou.

– Seja minha – pediu Benedict, com a voz densa e urgente. – Seja minha agora. Para sempre. Eu lhe darei tudo o que desejar. Tudo o que quero em troca é você.

Lady Whistledown e Violet Bridgerton merecem destaque, também. A primeira mostra-se mais sensível e irresistível do que nunca, e nos dá novas ideias sobre sua misteriosa personalidade. A segunda revela os poderes que uma mãe tem ao proteger sua família e age como uma leoa a cuidar das crias, em uma das melhores cenas do livro, o qual, por sinal, tem a melhor cena de romance e de ação da série.

Não tenho dúvidas ao afirmar que esse é o melhor livro dos oito. A transformação dos personagens (e não só dos protagonistas), o sentimento que é passado palavra a palavra e o enredo bem humorado e emocionante fizeram dele o meu favorito. Benedict e Sophie são o casal número um em meu coração. Com foco no desenvolvimento pessoal dos personagens, na luta que se transforma em aceitação e na sinceridade e credibilidade das emoções, “Um perfeito cavalheiro” se eternizou como um dos melhores romances históricos que já li.

– O que você está vendo? – indagou.
Sophie tropeçou, mas não tirou os olhos dos dele em nenhum momento.
– Minha alma. – sussurrou. – Estou vendo minha alma.

Para ver os meus trechos favoritos e os mais marcantes, clique aqui.

skoob | onde comprar | e-book

Anúncios

4 comentários sobre “[Resenha] Um perfeito cavalheiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s